CARTA DE SÃO PAULO

CONFEDERAÇÃO MAÇÔNICA DO BRASIL – COMAB
CARTA DE SÃO PAULO

Aos vinte e cinco e dias do mês de agosto de dois mil e catorze da E:.V:., reunidos na sede do Grande Oriente Paulista – SP, o Colégio de Grão-Mestres da Confederação Maçônica do Brasil – COMAB, no mês que se comemora o Dia do Maçom e às vésperas das comemorações do Dia da Independência e após uma ampla análise e discussão sobre a realidade da Maçonaria Brasileira e dos problemas contemporâneos da nossa sociedade neste já Século XXI, divulga a presente carta aberta aos Maçons.
 
A Maçonaria brasileira sabe que além de dever formar e reter nas colunas Mestres “livres e de bons costumes” motivados para o contexto da atualidade a que o Século XXI exige, deve agir organizada e conjuntamente como estrategistas e articuladores, para a transformação de Iniciados e da Sociedade, agindo principal e decisivamente para uma Educação de qualidade para o nosso povo, contribuindo para transformar a humanidade mediante um desenvolvimento socioeconômico
com sustentabilidade, tornando-a assim, mais feliz.

Para que isto se concretize, é fundamental que todos os maçons brasileiros contribuam aliando-se na formação de uma força viva, unida e atuante com propósito definido, semelhante àquela, organizada na luta pela Independência, concretizando-se, principalmente, pelo aperfeiçoamento da integração e solidificação da fraternidade entre as três grandes estruturas organizacionais da nossa Maçonaria. 

Esta Maçonaria que produziu fatos históricos importantíssimos ao longo da sua história e inclusive no século passado, especialmente com a fundação da CMSB – Confederação da Maçonaria Simbólica do Brasil e da Confederação Maçônica do Brasil – COMAB com a preservação da importância histórica do GOB – Grande Oriente do Brasil, ampliando a base da diversidade do pensamento no solo brasileiro.

História que registra que chegamos ao final do século XX num processo de integração forte e insofismavelmente visível nas bases, a partir de uma brilhante condução através de lideranças maçônicas iluminadas e conscientes desta necessidade para que pudéssemos avançar em muito no Século XXI, respeitando as características de cada uma destas três organizações. 

Este processo embasado em sentimento fraterno, caracterizador do atuar maçônico, produziram ações, atos e feitos que resultaram na propagação de informações que chegaram as lideranças internacionais da Maçonaria, que passaram, a saber, e conhecer a nossa história na plenitude da verdade (o que incomoda alguns poucos) e nossa realidade atual, no que anseiam pela concretização de uma plena e definitiva integração na Maçonaria Brasileira.

Integração não somente em compartilhamento de Território, Templos, recursos físicos, financeiros e materiais, mas é uma realidade vivida e cultivada em todo o Brasil, através do coração e da mente de “homens livres e de bons costumes”, embalados num clima de perfeita fraternidade e união.

Integração principalmente apoiada nas seguintes bases:
  • Justiça: dar a cada um o seu justo e o devido, sem distinção, com a verdade sempre em ação.
  • Prudência: agir com cautela e moderação, respeitando os Irmãos, o próximo, regulando nossas vidas e ações de acordo com os ditados da razão, avaliando antecipadamente as prováveis consequências de nossas ações.
  • Temperança: ter controle das paixões e desejos nefastos, procurando praticar com moderação todas as atitudes, ações, pensamentos e procedimentos, aprendendo a evitar os excessos ou qualquer hábito tendencioso. 
  • Força: sobrepujar os preconceitos e imobilismos que concorrem para a divisão de forças, obstáculo a uma atuação mais concreta e conjunta em prol do Brasil que tanto necessita de homens de ação e com ideais baseados nos “bons costumes”; bem como para dar um real exemplo de fraternidade - termo que é oriundo do latim frater, que significa "Irmão", que nos leva a construção e preservação da boa relação entre os maçons.

Estamos em pleno Século XXI, já no transcurso da segunda década, no qual necessitamos continuar a agir com sintonia convergente ao avanço no necessário processo de integração fraterna, honrando inclusive o trabalho e esforço de muitos maçons que se dedicaram e estão se dedicando até hoje. Superando e não resgatando mágoas e incompreensões passadas, produzidas por fatos e atos do Século XX, onde a verdade estava e está cravada “nas duas faces de uma mesma moeda”.

Neste contexto resgatamos para reflexão, o que disse Winston Churchill certa vez: “Se abrirmos uma discussão entre o passado e o presente talvez descubramos que perdemos o futuro” Também não poderemos confundir os conceitos e a aplicação de “reconhecimento” e de “regularidade”. Visto que a nível internacional, o que se discute e se aguarda é a plena e fraterna integração da nossa Maçonaria, com vontade política entre as partes, de levar a termo de forma expressa, tratados de mutuo reconhecimento. Que a bem da verdade já é praticado em vários Estados, mesmo que de forma tácita pelo relacionamento histórico de compartilhamento nas mais diversas formas e inclusive mediante a regularização de iniciados de uma ou de outra parte.

Reconhecidos como maçons.

Finalizando, a Confederação Maçônica do Brasil – COMAB reafirma o seu compromisso de atuar firmemente pela benéfica e sábia integração da Maçonaria Brasileira dentro do eixo de relacionamento com a CMSB – Confederação da Maçonaria Simbólica do Brasil e com o GOB – Grande Oriente do Brasil, para efetivamente avançarmos na produção de resultados concretos em prol do nosso Brasil e honrar nossos antepassados e principalmente os Maçons que tem acima de tudo, amor no coração e mente inteligente.

Proclamar “Independência ou Morte” internamente nas colunas: Independência da ação retrógrada longe da verdade, da liberdade e dos bons costumes; Morte à mentira e a prevalência dos interesses pessoais e escusos sobrepondo a maçonaria brasileira.

Mahatma Gandhi disse certa vez: “Faz da tua vida um reflexo da sociedade que desejas”. 

Assim, se realmente desejamos algo superior ao que se apresenta, façamos valer a nossa história e os nossos ensinamentos e vamos nos posicionar de forma concreta ante ao que se apresenta e não retroceder ao muito já conquistado. Há muito que fazer e realizar. 

E com base nos princípios gerais e na união da Maçonaria Brasileira, todas as Potencias Maçônicas Confederadas à COMAB, à luz do seu Estatuto e nas melhores práticas dos bons costumes, estarão sempre com os corações e as portas fraternalmente abertas para os Irmãos do GOB e da CMSB, independentemente da cor de avental, grau ou rito.

Fraternalmente,

CONFEDERAÇÃO MAÇÔNICA DO BRASIL – COMAB